sexta-feira, 11 de agosto de 2017

EM HOMENAGEM AOS PAIS - MEU HERÓI USA FARDA






       Em tempo de homenagear estas pessoas tão especiais, a BM desenvolve uma campanha em tributo aos pais brigadianos. Das muitas histórias e fatos vividos na carreira policial militar, alguns momentos tornam-se ímpares tanto na vida dos profissionais envolvidos como da própria corporação.
          
       Neste espaço filhos prestam justa homenagem aos pais brigadianos:


Soldado Joezer Obem De Vargas, filho do 2º Sgt CVMI Paulo Almeida De Vargas

1993
2017
          Quando nasci meu pai já acumulava dois anos de serviços prestados à Brigada Militar. Tenho sangue brigadiano. Em 2017, completo 10 anos de serviço, enquanto meu pai alcança seus 34 anos de instituição. É um orgulho vestir a mesma farda que cresci admirando.
       




 Milene, Matheus e Mariana filhos do major Noé Jesus da Costa, Comandante do 5º R P Mon.
      Ter o pai policial é ser protegida por um herói em dobro. Um ícone a ser seguido como exemplo dentro de casa, nas ruas, e no meio em que trabalha.
     É por isso e muito mais que nos orgulhamos do pai policial. Apesar da saudade que sentimos todas as semanas, da preocupação em saber se está seguro, agradecemos muito por desempenhar essa função.
    Desejamos-te um ótimo dia dos pais e que todos os teus dias sejam repletos de conquistas e sucesso. Nunca esqueça que mesmo longe, teus filhos estarão sempre muito orgulhosos e torcendo por ti e pelo teu trabalho, que é admirável, assim como você.


Soldado Mônica Marques da Silva, filha 2º Sargento RR José Antonio Reis Da Silva.


            A sensação é única. Cresci vendo meu pai sair pra trabalhar. Sempre admirei e me espelhei no seu exemplo. Aprendi a sentir orgulho da farda, desde pequena. O que sem dúvida, influenciou minhas escolhas. Quando passei a fazer parte da BM, e vivenciei a rotina policial, é que pude entender muitas atitudes que meu pai tinha dentro de casa. É legal e ao mesmo tempo engraçado. Quando se trabalha junto, o cuidado é ainda maior. Relata a Soldado Mônica ao ser perguntada sobre a experiência de atuar junto com o pai.