quarta-feira, 31 de maio de 2017

SE BEBER NÃO DIRIJA - ÁLCOOL E DIREÇÃO NÃO COMBINAM

O consumo de álcool, junto com a imprudência do motorista e a alta velocidade, são os principais responsáveis pelos acidentes fatais no trânsito brasileiro.

Um motorista que dirige embriagado torna-se um perigo para todos os demais motoristas, para os pedestres e para si, pois seus reflexos ficam mais lentos e a imprudência mais aguda. Todo motorista embriagado sente que pode fazer tudo ao volante de um automóvel. Nestes casos o condutor costuma dirigir em ziguezague e jogar o carro para o acostamento ou até atravessar para a outra pista, momento que ocorre a maioria dos acidentes fatais.

Não é só o álcool, que pode punir o motorista. Substâncias entorpecentes, como a maconha, cocaína e o crack, também podem alterar o comportamento de um motorista e causar sérios acidentes. O álcool é a droga mais tolerada no Brasil atualmente. 

Para constatação da taxa de alcoolemia no Brasil, os policiais em geral utilizam o teste do bafômetro. Outros testes podem ser realizados, diante na impossibilidade de realização do bafômetro, como por exemplo, o exame clínico, exames de sangue e por testemunhas.


O CTB também prevê multa para o motorista embriagado, além de existir a possibilidade de ser processado criminalmente. O crime de embriaguez ao volante está previsto no art. 306 do CTB. Todo motorista em  estado de embriaguez, mesmo leve, compromete gravemente a sua segurança e a dos demais usuários da via, pedestres ou não.
O Brasil está no topo da lista de países com maior número de acidentes de trânsito no mundo, com um milhão de acidentes por ano. Resultam daí 300 mil vítimas, 50 mil fatais.

Os principais efeitos do álcool no organismo são: relaxamento, sonolência, turvação da visão, descoordenação muscular, diminuição da capacidade de reação, diminuição da capacidade de atenção e compreensão, deterioração da capacidade de raciocínio e da atividade social, irritabilidade, fenômenos de amnésia, fadiga muscular e até a morte, no caso de intoxicação aguda decorrente do coma alcoólico. Sempre é bom lembrar que a quantidade de álcool capaz de embriagar, varia de uma pessoa para outra.

Quanto maior for a ingestão de bebida alcoólica, maior o efeito sobre o motorista que vai perdendo a consciência do perigo.

                    O álcool e trânsito é uma mistura perigosa que causa a morte de milhares de pessoas todo o ano no Brasil, destruindo várias famílias.