sexta-feira, 29 de abril de 2016

DISCURSO PROFERIDO PELO COMANDANTE-GERAL DA BM, CORONEL FREITAS, DURANTE EVENTO NA ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR




       Discurso proferido pelo Comandante-geral da Brigada Militar, coronel Alfeu Freitas Moreira, durante cerimônia de entrega de medalhas aos policiais militares nesta quinta-feira, 28, na APM.

         A Brigada não para.

     Hoje estamos aqui para comemorarmos o Dia do Policial, oportunidade em que registro meu cumprimento a todos os policiais civis, policiais federais e policiais rodoviários federais pelo seu incansável trabalho por nossa segurança pública.

     O meu abraço, reconhecimento e agradecimento muito especial aos policiais militares, da ativa e da reserva altiva, e a nossa homenagem àqueles que tombaram no cumprimento do dever. A eles, nosso respeito e nossa saudade.

    Nossa homenagem aos policiais e bombeiros militares da Brigada Militar, representados por essa tropa postada – a tropa da Operação Avante – e pelos Policiais Militares das mais diversas áreas da Instituição presentes e pelos agraciados.

        Temos todos que agradecer pela dedicação e o empenho diário que esses homens e mulheres da Brigada Militar nos prestam – faça chuva ou sol, faça um calor escaldante ou um frio intenso – os brigadianos sempre estão e estarão a postos.

       Ressalto o efetivo da Operação Avante, que através de suas ações de abordagens policiais qualificadas foram responsáveis, somente neste ano, por 964 prisões, 224 armas recolhidas e toneladas de drogas apreendidas. Eles, assim que esta cerimônia terminar, vão retornar às ruas, somar-se a outros a patrulhar as cidades, atender à comunidade.

      A Brigada não para.

    Não para de receber demandas – ações em postos de saúdes, postos bancários, postos de combustíveis, escolas, comércio, transporte coletivo, incêndios, invasões, depredações, manifestações, presídios, escoltas, reintegrações, salvamentos, ocorrências com reféns, guerra ao tráfico (aqui faço uma observação: por favor não deixem prosperar qualquer discussão favorável à liberação da maconha) somam-se às atividades de rotina de polícia ostensiva em parques, praças, rodovias, meio ambiente, fazendárias, nas ruas, nos grandes eventos como os jogos de futebol, shows. São inúmeras as missões diárias além das demandas do fone 190.

    A Brigada não para.

    Não para de proteger os gaúchos de todas as formas e em todas as ocasiões possíveis.Todos os dias há confrontos com meliantes, há ações de rara coragem, há policiais militares arriscando suas vidas para nos proteger.

   Temos nossas dificuldades, o Estado passa por dificuldades, todos nós estamos passando, mas a Brigada está a postos - os brigadianos e as brigadianas estão a postos – isto tem que ser lembrado e valorizado sempre.

    Todos aqui estão, através de suas presenças e manifestações, auxiliando em muito na valorização dos Brigadianos, autoridades, convidados, comunidade, familiares – além de nos honrar, nos tranquiliza pelo apoio na nossa missão. Ainda mais depois do que se viu nestes últimos dias , ou seja, a afronta de meliantes contra o Estado e contra a sociedade ali representadas pela Brigada.

   Ser policial militar não é uma profissão, é um ofício. Exige-se muito de um policial militar: postura, raciocínio rápido, resistência física, perspicácia, educação, tolerância, conhecimento, moral, coragem, entre outros tantos valores.

   No juramento que prestamos está a expressão: “mesmo com o risco da própria vida”. E isso, tenham a certeza, é posto em prática todos os dias, lembramos disso todos os dias, sempre há quem nos faça lembrar dessa frase todos os dias.
   Ajudem-nos a cuidar desse qualificado profissional, desse importante patrimônio da sociedade gaúcha que são os homens e mulheres da Brigada Militar, preocupem-se com a manutenção dos nossos valores, dos nossos direitos e das nossas prerrogativas que são fundamentais para a qualidade e manutenção dos nossos serviços para que a Brigada continue sendo a Força da Comunidade.

    A Brigada não pode parar.

Quero reforçar, para que todos saibam, que temos, todos nós brigadianos, como princípio fundamental e como conceito de ação policial qualificada e meritória, a preservação da vida, de todas as vidas e que isto fique sempre bem claro, não fomentamos o evento morte. Mas como eu disse durante esta semana: nas circunstâncias do combate ao crime, se este evento ocorrer, que se vão os maus.

Finalizando, ano que vem espero a todos para uma nova homenagem aos policiais deste Estado que merecem, hoje e sempre, nossos agradecimentos.

Cel QOEM Alfeu Freitas Moreira
Comandante-geral da Brigada Militar