terça-feira, 29 de setembro de 2015

Crianças estão morrendo ou ficando inválidas em acidentes com motocicletas. Vamos mudar isso!

moto


     Um levantamento inédito do Centro de Estatísticas da Seguradora Líder-DPVAT revela que, desde setembro de 2008, 8.542 crianças de até 10 anos morreram ou ficaram inválidas sendo transportadas em motocicletas. Deste total, 439 correspondem a casos de morte e 8.103 de invalidez permanentemente. Na grande maioria dos casos, os acidentes acontecem não só por imprudência e irresponsabilidade de adultos, mas por grave infração da lei.
    Vale lembrar que o transporte de crianças, em qualquer veículo, tem que ser realizado com muita segurança. No caso das motocicletas é proibido levar crianças menores de sete anos ou que não tenham condições de cuidar da própria segurança. Infelizmente, essa é uma regra que não é seguida por muitos motociclistas e que representa uma infração gravíssima, passível de multa e da suspensão do direito de dirigir. 
    No enfoque de região geográfica, a região Nordeste é líder isolada nas ocorrências envolvendo crianças transportadas em motocicletas, representando 51% da quantidade de indenizações em âmbito nacional, muito embora a sua frota de motocicletas seja de apenas 27% da frota nacional. Em segundo lugar, aparece a Região Norte, com 22% das indenizações, sendo a sua frota de motocicletas de apenas 9% da frota nacional. As duas regiões juntas, representam 36% da frota nacional de motocicletas porém foram responsáveis por 73% das indenizações.
Dicas para o transporte das crianças em motos
    É importante lembrar aos pais que a motocicleta, por suas características, já é um tipo de veículo que oferece menos segurança do que um carro, pois o motorista e passageiro ficam expostos em caso de colisão. Por isso, ao transportar crianças em motos, é primordial se cercar de todos os cuidados.
   Em primeiro lugar, é preciso que a criança tenha a idade mínima exigida por lei para que ela tenha condições mínimas de segurança. 
  O capacete não pode ficar frouxo, ele deve ser adequado ao tamanho da cabeça do menor. Importante também que a criança esteja de calça, tênis, jaqueta – utensílios essenciais para proteger a criança ou qualquer indivíduo de escoriações leves. 
  Outro utensílio que aumenta a segurança é o colete Anjo da Guarda, que prende a criança na cintura do condutor, evitando quedas por distrações, sonolência ou solavancos.
Fonte: http://www.viverseguronotransito.com.br/