quarta-feira, 19 de agosto de 2015

É NOTÍCIA - Santiago é a 4ª cidade do RS em casos de tráfico de drogas por habitantes

Montagem com fotos do arquivo do Blog Rafael Nemitz, em diversas apreensões realizadas pela Brigada Militar e Polícia Civil nos últimos meses.


      De acordo com a matéria publicada no Blog Rafael Nemitz, o tráfico de Drogas está tão presente em Santiago que a cidade figura em 4º lugar entre todas as cidades gaúchas no número de ocorrências em relação ao número de habitantes. As informações, referentes ao primeiro semestre de 2015, foram divulgadas pelo jornal Zero Hora.

   Segundo dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública, a cidade de Santiago registrou 9,3 casos de Tráfico de Drogas a cada 10 mil habitantes.

   Antes de Santiago, aparecem as cidades de Itaqui, em 1º lugar; Capão da Canoa, em 2º lugar; e Porto Alegre em 3º lugar.

Em todo o Estado, foram 5 toneladas de drogas apreendidas, 390 pessoas presas em flagrante nas 291 ações realizadas e 120 armas recolhidas no primeiro semestre deste ano.


 Fonte: Texto e fotos do Blog Rafael Nemitz com informações do jornal Zero Hora e da rádio Gaúcha.



CONTEXTUALIZANDO O TEMA:

       O uso de drogas é antigo, mas, ao longo do tempo evoluiu para um grave problema de saúde pública, com sérias conseqüências pessoais e sociais para o futuro dos jovens e sociedade! A adolescência fase que o jovem resiste às orientações, vive a expectativa de ser adulto, de ter controle sobre si mesmo, de modo geral, se afasta da família, adere ao grupo de iguais. Se o grupo usar drogas, o pressiona a usá-la, e ao contato com droga nessa fase de vulnerabilidade, ele diversifica o seu uso. 

     No Brasil, o quadro mudou nas últimas décadas. Até 1980, os estudos não mostravam taxa elevada de consumo entre alunos. Mas, a partir de 1990 o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas da UNFESP mostra tendência ao seu crescimento, através de um estudo com alunos de 1° e 2° graus em 10 capitais brasileiras, amostras de jovens internados, e meninos de rua, aumentou o consumo de inalantes, maconha, cocaína e Crack em capitais,mas, o álcool e tabaco eram as drogas mais utilizadas. 

    Apesar do índice de emprego, há ainda milhões de desempregados e muitas enfrentam a crise buscando emprego no narcotráfico e, de modo geral, quem tem acesso à droga, a consome Assim o crescimento do narcotráfico se alastrou e supera às tentativas de contenção e fiscalização.

   Este aumento no país,tem muito a ver com a falta de oportunidades de trabalho, pois crianças que nascem em morros se criam convivendo com drogas, pais e irmãos traficantes,e não têm chance de seguir outro rumo, a não ser que seja resgatada a tempo e que lhe seja dada uma chance de vida diferente Mas,ainda assim, sofre desemprego por discriminação. 

    Os traficantes se tornam mais fortes, espalham seus tentáculos por Instituições e seu consumo tem como conseqüências o aumento da violência nas grandes cidades, que deixam de ser potencial turístico,e vem preocupando as autoridades.
   Nos últimos anos o consumo de drogas triplicou, por mais que a policia faça para minimizá-lo, maior que seja seu aparato, o máximo que consegue é pegar usuários e poucos traficantes, mas, para deter o narcotráfico no Brasil é preciso muito mais.
   O país faz fronteira com 10 países, 3 produtores de cocaína uma possível causa do aumento do narcotráfico no Brasil a pouca fiscalização torna muito fácil a entrada da droga e traficantes. Além da falta de perspectiva do jovem, desemprego, vulnerabilidade de nossas fronteiras, há a ausência das crianças e adolescentes da escola sem condições de funcionar, provocam o êxodo escolar. E para evitar a adesão ao uso da droga, a principal medida é manter o aluno o maior tempo possível na escola.

   A distribuição de drogas gera guerras entre gangues e polícia, faz vítimas entre estes, principalmente entre usuários adolescente e crianças. O Cebrid constatou aumento de 70% do uso crack no pais, em apenas 18 meses.
    Apesar de o consumo de drogas ser mais comum na classe desprotegida, nota-se um aumento entre as classes média e alta, daí a importância dos pais alertarem para o problema que atinge todos os segmentos da sociedade crianças, universitários adultos. A família deve observar a mudança de conduta do parente e pedir ajuda a partir de alterações do sono, alimentação, e cuidados pessoais. 
   Em nível avançado passa a furtar objetos em casa, já inclui a compulsão, uma alteração no funcionamento do cérebro, os neurônios estão mais em função da obtenção da droga que do convívio social. Daí a importância dos pais em alerta,esperarem acordados a volta dos seus á casa.

   Além dessas medidas para deter o avanço da droga no país, é preciso patrulhar nossas fronteiras, numa atuação perene das Forças Armadas e Segurança Nacional,o país tem 15 000 Km de fronteira terrestre e 8000 marítima, desassistidas. O governo também deve adotar política de retaguarda para receber, tratar o viciado evitando a sua recaída. 

Matéria elaborada com dados obtidos junto a ABEAD (Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas), e pesquisa monográfica realizada pelo Sd Anderson Bittencourt Flores - Assessor de Comunicação Social do 5º R P Mon e Acadêmico do X semestre do  Curso de Direito da URI Santiago.