terça-feira, 16 de junho de 2015

Confira dicas e cuidados para pilotar no frio Motociclista, não seja pego de surpresa pelas baixas temperaturas

Foto:andarilhar.com


Texto: Bruno Parisi/Agência InfoMoto
      O inverno chegou oficialmente (começa em 21 de junho). Diversas regiões do País já tiveram uma prévia de que essa estação será bastante fria. Com a chegada das baixas temperaturas, existem os motociclistas que ignoram o clima adverso e continuam, sem maiores problemas, utilizando sua motocicleta. Veja como driblar o frio e sentir-se confortável e seguro para pilotar sua moto por ruas, avenidas ou estradas.
    O ar gelado em contato com o corpo humano por longos períodos traz uma série de malefícios. O primeiro sintoma de excesso de vento gelado é a lentidão nas respostas do corpo, como mexer as mãos e pés, prejudicando assim a pilotagem. Isso se dá ao fato de o corpo não "gerar" calor suficiente para manter os membros do corpo com temperatura estável. "A exposição da pessoa ao ar gelado pode provocar crises de rinite e sinusite, mas outro fator a ser considerado é a poluição do ar. O ar poluído traz, a longo prazo, complicações no quadro respiratório, como bronquite", explicou a pneumologista Simy Nahon Casarini.
    Esse mesmo ar gelado provoca ainda o ressecamento da pele e gripe, dependendo da imunidade de cada pessoa. "Com o nariz entupido, a pessoa tende a respirar pela boca e o ar entra gelado nos pulmões. Isso os prejudica, já que ao respirar pelo nariz o ar entra nos pulmões com 30 graus de temperatura", concluiu a médica. Uma boa dica para proteger o rosto do motociclista do freio é o uso de uma balaclava.
Mantenha-se aquecido
     Pilotar bem equipado é mais que uma obrigação. Um ponto positivo para os brasileiros é que a maioria dos equipamentos de segurança são fabricados por marcas européias, onde o inverno é rigoroso e as marcas investem em itens para minimizar o frio. Jaquetas com forro e gola alta, fecho no punho e ajustes nos braços e no corpo são alguns dos artifícios para as jaquetas. Entre as calças também existem opções com forro térmico e diversos ajustes para evitar o frio e o efeito "pára-quedas", isto é, quando venta muito e as roupas incomodam a pilotagem.
   No mercado de equipamentos de segurança há também luvas de couro ou material sintético, ambas com opções de forro interno para maior conforto das mãos. Itens específicos como roupas térmicas (também conhecidas como segunda pele) protetores de pescoço e botas de cano alto também entram na lista de equipamentos para minimizar o frio. O improviso também é válido nessas horas, como usar cachecol no pescoço, meias de futebol, além da antiquada, porém eficiente, ceroula, ajudam na tarefa de afastar o frio.
      Pilotar uma moto com muitos equipamentos não agrada a gregos e troianos, como diria o velho ditado. Alguns motociclistas não se sentem à vontade. "Uso uma luva simples que passa muito frio. Mas usar luvas grossas tira a sensibilidade da mão. Não gosto", comentou Cleber de Sena, que pilota motos todos os dias, faça chuva, sol ou frio.
A motocicleta no combate ao frio
     Até a nossa "queridinha" de duas rodas pode nos ajudar a combater o frio. Equipamentos como pára-brisa e protetores de mão tornam a vida dos motociclistas mais fácil durante as baixas temperaturas.
     Pouca gente percebe, mas motocicletas cujo motor esquenta demais se tornam uma aliada no inverno. Manoplas aquecidas parecem um exagero, mas quem utilizou esse equipamento em uma moto sabe como é útil, principalmente em trechos de serra e de mata fechada. Esse "luxo" está disponível apenas em alguns modelos top de linha, como as BMW, à venda no País. Improvisando ou não, o que importa é se proteger do frio para pilotar com segurança e conforto sua motocicleta por uma estrada bem asfaltada, céu azul e com pouca probabilidade de chuva.