terça-feira, 5 de maio de 2015

ESTADO - Feriado do Dia do Trabalho teve menos acidentes de trânsito



         Encerrada a 43ª edição da Operação Viagem Segura, os órgãos de trânsito fizeram um balanço dos acidentes no feriado. Depois de dois feriados violentos em sequência (Páscoa e Tiradentes), o Dia do Trabalho trouxe um alento. Foram menos acidentes e menos feridos do que no Primeiro de Maio do ano passado. A estratégia de privilegiar a fiscalização por abordagem também tem mostrado bons resultados. Embora o número de veículos fiscalizados tenha sido menor este ano, a quantidade de infrações registradas manteve-se na média de 2,2 mil por dia.
        Apesar da redução do número total de acidentes e do número de feridos, a ocorrência de vítimas fatais manteve a mesma média do feriado do ano passado: foram 20 mortes em cinco dias em 2014 e 16 em quatro dias neste ano (média de quatro vítimas fatais por dia de feriado).
         Da zero hora da quinta-feira (30) até a meia-noite desse domingo (3), foram fiscalizados 56 mil veículos e aplicados 2,5 mil testes de etilômetro. As polícias registraram quase 9 mil infrações e recolheram 1,5 mil veículos e 247 CNHs irregulares.
            Nos quatro dias da operação, ocorreram 700 acidentes, uma média 11% menor do que no ano passado (de 197/dia para 175/dia). Foram 14 acidentes com vítimas fatais e 251 com lesões. Desses acidentes, resultaram 16 vítimas fatais e 355 feridos. A média diária de acidentes com lesões passou de 76 para 62 (-17%), e a média de feridos, de 101 para 88 (-12%).
 
Operação Viagem Segura
        A união de esforços dos órgãos de trânsito para prevenir a acidentalidade nos feriados começou em 15 de novembro de 2011. Desde aquele feriado de Proclamação da República, já foram 43 operações, que contabilizam 3,7 milhões de abordagens e 96,5 mil testes de etilômetro. Atuam como principais parceiros na Operação Viagem Segura Detran/RS, Polícia Rodoviária Federal, Brigada Militar e Comando Rodoviário da BM, com suporte da Polícia Civil, municípios, Famurs, Cetran/RS, ANTT, Metroplan e SindiCRD.
Texto: Mariana Goldmeier Tochetto/Detran
Edição: Léa Aragón/CCom