sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)




Você vai ver nesta página:

COMPRAS1 150x112 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
COMO OS MARGINAIS SE PREPARAM PARA COMETER UM CRIME?

PERFIL DO BANDIDO

FURTO – art. 155 do CPB

ROUBO – art. 157

ESTELIONATO – art. 171 

compras 150x112 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
O BILHETE PREMIADO

A SENHA POR TELEFONE

COBRANÇA DE VERDADEIROS DÉBITOS NO SERASA

GOLPE DO PACO DE DINHEIRO OU CHEQUE ACHADO

GOLPE COM DIPLOMAS FALSOS

FRAUDE NO COMÉRCIO E C.D.C

cartões 150x77 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
CHEQUES

CARTEIRA DE IDENTIDADE

DINHEIRO

CARTÃO DE CRÉDITO

 PREVENÇÃO

                Ato de se antecipar às consequências de uma ação, no intuito de prevenir seu resultado, corrigindo-o e redirecionando-o por segurança.

            A prevenção somente será possível mediante conhecimento do fato que se visa prevenir, sendo este o objetivo dessas dicas, ou seja, explanar acerca dos três crimes que mais atingem as pessoas individualmente, FURTO, ROUBO e ESTELIONATO, esclarecendo as peculiaridades de cada um, bem como sugerir dicas de prevenções.

Provérbio: “DEPOIS DO LADRÃO COLOCA-SE A TRANCA”

            Temos que ativar nossa consciência acerca de PREVENÇÃO para estarmos sempre preparados, isso não quer dizer que estaremos imunes, caso aconteça, estaremos também orientados como proceder.

            1º – NUNCA REAGIR
            2º – PRESERVAR O LOCAL para colheitas de vestígios (provas).
            3º – Chamar a Polícia e providenciar o registro boletim na delegacia.

            Seguindo esses passos e tomando essas providências levará ao êxito a solução do crime.

            COMO OS CRIMINOSOS SE PREPARAM PARA COMETER UM CRIME?

            Em geral, todo assalto conta com uma determinada preparação que consiste em:

1-      PRÉ-ELEIÇÃO DO ALVO: esta fase pode levar meses, dias ou apenas segundos. É a fase em que o bandido irá escolher quem irá abordar.
2-      IDENTIFICAÇÃO DO ALVO: geralmente o mais fraco, ou o mais distraído que será escolhido.
3-    VIGILÂNCIA: período que o bandido avalia toda a situação antes do ataque (abordagem).
4-    PLANEJAMENTO: o bandido já tem tudo que precisa, agora ele planeja como será o ataque .
5-      ATAQUE: nesta fase não há como fazer prevenção.

“O êxito em reações não ultrapassam 5%”

Melhor momento para interromper a ação do criminoso é na fase da:

3- VIGILÂNCIA: período que o bandido avalia toda a situação antes do ataque (abordagem).
 O pior momento é  na fase 5, no momento do ataque ( neste momento NUNCA REAJA).

O BANDIDO

  • Não quer ser exposto.
  • Sempre faz uma seleção das vítimas (facilidade, distração, fragilidade…)
  • Durante um assalto o bandido está NERVOSO  e com MEDO, geralmente COM AS MÃOS TREMENDO. Neste momento ele não consegue ver nada em sua volta, somente seu intento.

PERFIL DO BANDIDO

        O modelo de bandido trajando CHINELO e BERMUDÃO está ultrapassado; hoje muitas pessoas relatam terem sido abordados em semáforos por HOMENS ELEGANTES, até mesmo de TERNOS e GRAVATAS;  também a participação de MULHERES cresceu muito.

      
Em uma ação o bandido tem 2 tipos de medo:

DE SER PRESO
DE SER MORTO                    …pela polícia ou pela própria vítima.

            Um ponto interessante é que A a maioria  tem TODO TEMPO DO MUNDO para procurar a vítima que ESTEJA EM CIRCUNSTÂNCIA FAVORÁVEL;

O CRIMINOSO NÃO DESEJA CORRER RISCOS DESNECESSÁRIOS.

            Na maioria dos casos registrados a vítima de alguma forma facilitou o ataque.

PREVENÇÃO É UMA QUESTÃO DE CONSCIÊNCIA e CONHECIMENTO.

…por isso publicamos essas dicas que ira lhes auxiliar um pouco sobre esta questão.

             As pessoas se tornam muito mais VULNERÁVEIS quando NEGAM A POSSIBILIDADE DE SEREM VÍTIMAS da violência urbana, isso é o mesmo que tapar o sol com a peneira; a DISTRAÇÃO e a IMPRUDÊNCIA nos deixam em posição de risco.

            Ser vítima da criminalidade não é um FENÔMENO DE SORTE OU AZAR.

Fique atento a:

  • Falso atendente de banco.
  • Ostentar aparelhos sofisticados em público.   …lembre-se que o criminoso procura facilidades e não dificuldades.

  • Tranca vermelha no volante do carro é muito eficaz.

  • (SENTIMENTO DE NEGAÇÃO) Namorar em local deserto de madrugada dentro do carro.
  • Deixar a porta da rua aberta para ventilar…

 fila caixa eletronico banco 436 150x103 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)   celular 150x119 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)   namoro no carro 150x95 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)

  • FURTO – art. 155 do CPB – subtração de coisa alheia…

  • furto 122x150 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
Difere do ROUBO porque NÃO há emprego de VIOLÊNCIA nem GRAVE AMEAÇA.

DICAS:

  •   PESSOAL –  Jamais negligencie seus pertences como deixar bolsas voltadas para trás, carteira em bolso largo, largar objetos pessoais sobre balcões e se afastarem; evite aceitar ajuda de desconhecidos, principalmente em bancos e estejam sempre atentos a ESBARRÕES.

  •   RESIDENCIAL –  Conferir sempre as trancas residenciais, reforçar fechaduras e cadeados; instale cortinas, alarmes e sensores de luz presencial, câmeras; não comente com os vizinhos sobre suas viagens; suspenda a entrega de jornal e revistas enquanto estiver fora.

  • VEÍCULO –   Além de equipá-lo com alarmes e trancas (visíveis), jamais deixe qualquer objeto sobre os bancos ou painel (aparente).

    • COMÉRCIO:
    • Nunca ter somente uma pessoa no atendimento.
    • Observar quando um cliente é muito ENVOLVENTE ou FALADOR, e ao mesmo tempo outras pessoas na loja, pode ser uma AÇÃO DE FURTO.

    • Investir em equipamento de monitoração de vídeo, barreiras eletrônicas, etiquetas anti-furto, etc.

    • Divulgar os dispositivos como: “SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO”.

    • Na disposição da mercadoria, os objetos menores devem estar mais perto do controle da loja.

  • ROUBO – art. 157 – Subtração de coisa alheia…

  • roubo o que fazer mao armada 150x123 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
MEDIANTE EMPREGO DE VIOLÊNCIA ou GRAVE AMEAÇA
DICAS:

  •   JAMAIS REAJA!

  •   Lembre-se que o ladrão está NERVOSO e com muito MEDO de ser preso ou ser morto…não faça movimentos bruscos.

  •   Caso o CELULAR tenha sido levado NÃO BLOQUEAR antes
   do registro da ocorrência.

  •   PRESERVE O LOCAL, sobretudo as superfícies lisas onde há possibilidade de colheita de digitais e outros vestígios.

  • PESSOAL: esteja sempre atento; mantenha na carteira apenas documentos essenciais como CNH; nunca tente perseguir o autor do roubo; evite usar caixas eletrônicos à noite; evite ostentar riqueza;

    • RESIDENCIAL –  Conferir sempre as trancas residenciais, reforçar fechaduras e cadeados; instale cortinas, alarmes e sensores de luz presencial, câmeras; tenha muros altos para evitar visualização da rotina de sua residência; jamais mantenha as chaves de casa junto às chaves do carro; nunca deixe chaves com o porteiro;

    •  Atenda vendedores e outras pessoas sem abrir a porta e jamais as introduza em casa; cheque a identificação ou crachá; ao chegar em casa, percebendo qualquer anormalidade, procure ajuda;

    • VEÍCULO: rodas e som exuberantes são atrativos; ao se dirigir para o veículo se prepare com antecedência…procure estacionar sempre em local iluminado; evite vagas próximo de veículo ocupado por pessoas; jamais dê carona.

    • Tenha um bom equipamento de produção de IMAGENS DE ALTA RESOLUÇÃO com vários ângulos.

    • Divulgue bem o equipamento de modo que TODOS AO ENTRAREM PERCEBAM IMEDIATAMENTE, como meio de DISSUASÃO.

“SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO”.

  • Tenha sempre anotação de números de emergência em locais visíveis e de fácil acesso.
  • 190 BM   –   193 BOMBEIROS   –   197 POLÍCIA CIVIL    –    181 DISK DENÚNCIA

ESTELIONATO – art. 171   -

engano 150x112 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
Crime ECONÔMICO – Obter para si ou outrem vantagem ilícita em PREJUÍZO ALHEIO mediante FRAUDE.

A característica mais marcante é o ENGANO.

DICAS:

Perfil dos estelionatários:
    * Em geral são pessoas bem vestidas.
    * Normalmente compram produtos fáceis de ser revendidos.
    * Compram em média valores aproximados a R$ 3 mil.
   * Têm olhar nervoso, mão trêmula, sorriso falso, voz que oscila e entabulam conversas longas e amigáveis demais, dando explicações em excesso.
    * Às vezes precisam ver o cartão ou documento para assinar.
    * Demonstram lentidão e incerteza ao assinar.
  *Pagam contas que são de acompanhantes, sem dar importância ao valor.
  * Às vezes ficam horas no estabelecimento, mas só no momento em que o caixa parece tumultuado, é que se apresentam para pagar.
    * Se oferecem para levar o bem instantaneamente, demonstrando pressa em sair com a compra.
    * Dificultam a conferência do RG ou do cartão, ou demonstram nervosismo quando o atendente liga para se informar mais a respeito. Nessa hora sugerem citar números em vez de entregar o documento.

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

O bilhete premiado

bilhete 150x111 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
Este é sem dúvida um dos golpes mais tradicionais e antigos do Brasil.

O golpista, com jeito de caipira pouco esperto ou de pessoa humilde, pede informações sobre o endereço de uma agência da Caixa Econômica Federal dizendo que é para receber um prêmio de loteria ou outro sorteio.

As vítimas típicas são pessoas idosas, às quais é mostrado o bilhete premiado (forjado ou falso), juntamente com um documento da Caixa Econômica Federal (também falso ou forjado) constando o número do bilhete premiado e o valor do prêmio.

Se for concurso tipo “mega sena” será mostrado um comprovante dos números sorteados (verdadeiro ou falso) e um falso bilhete com aposta nos mesmos números.

Às vezes eles apresentam um verdadeiro bilhete com aposta nos números ganhadores de um concurso anterior, e um comprovante dos números sorteados naquele concurso, contando com a falta de atenção da vítima quanto ao número do concurso.

A caminho da Caixa Econômica, e depois de muita conversa, o golpista propõe à vítima de lhe vender o bilhete premiado por uma fração do seu valor.

Em alternativa poderá apresentar a proposta como um pedido de ajuda para resolver problemas. Ajuda na qual a vítima supostamente sairia ganhando.

Para justificar a generosa oferta dirá que tem pressa porque o ônibus para sua cidade parte em 15 minutos, que esqueceu ou perdeu os documentos (e não pode retirar o prêmio), que está desorientado com a burocracia ou com a “cidade grande”, que é analfabeto, que tem alguém esperando ele, que a mãe dele está no hospital etc…

Se a vítima cair nesta conversa sacará o dinheiro da própria conta bancária e o entregará ao golpista em troca de um bilhete que não vale nada. Existem casos onde o golpista, em vez de dinheiro (que pode não estar disponível na conta da vítima), aceita valores como joias etc…

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

A SENHA POR TELEFONEpor telefone 150x89 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
É um golpe bem antigo, simples, quase trivial. Apesar disso, por incrível que pareça, ainda tem muita gente caindo neste tipo de golpes.

A base do sucesso desta fraude é o uso de técnicas elementares de “engenharia social”.

O esquema clássico é o seguinte. Uma pessoa liga se dizendo gerente ou funcionário de tesouraria de um determinado banco e informa que existe um saldo a ser creditado na conta da vítima, referente à algum tipo de erro ou crédito tributário. Outras desculpas são reembolsos de vários tipos, seguros vencidos a serem resgatados etc…

O golpista solicita que a vítima digite no próprio telefone, supostamente para um sistema automático, o código de seu banco o número de sua conta corrente e da senha, que é gravada. De posse de tais dados, o golpista efetua transferências via telefone ou internet de todo o saldo existente na conta da vítima para uma outra contracorrente aberta com documentos falsos ou pertencentes a “laranjas” para o recebimento dos depósitos.

Existem muitas variantes deste tipo de golpe onde sempre alguém solicita, com alguma desculpa, os dados da conta e as senhas. Muitas vezes isso é feito, para deixar a vítima mais tranquila e confiante, através de supostos (falsos) sistemas automáticos.

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

Cobrança de verdadeiros Débitos no SERASA

            A fraude funciona assim. Os golpistas consultam, de forma sistemática e aleatória, o CPF de pessoas junto à SERASA, SPC e serviços equivalentes de proteção ao crédito.

O intuito é descobrirem se a pessoa possui algum tipo de restrição. Quando encontram alguém nesta condição, enviam uma correspondência, normalmente em papel timbrado de um “escritório de advocacia”, notificando o devedor a quitar o débito dentro de 5 dias, sob pena de ser processado (aí terá gastos para contratar um advogado e se defender), executado judicialmente, com penhoras etc…

            A carta é bem ameaçadora e no texto da notificação informam que estão oferecendo uma condição especial para o pagamento à vista com desconto de 50-60 %, ou em algumas parcelas com descontos variados. O pagamento pode ser efetuado através de depósito identificado, na conta número “tal” do banco “tal”, em nome do Escritório de Advocacia ou da Empresa de Cobranças “tal”. Em alguns casos a conta fornecida é em nome de pessoa física, onde a justificativa é que a pessoa seria o advogado titular do escritório.

            A vítima, para não ser processada e aproveitando o desconto, passa a efetuar os pagamentos, e quando os finalizar… continuará com seu nome protestado e/ou cadastrado nos serviços de proteção ao crédito.

           Isso porque aquele “Escritório de Advocacia” nunca teve poderes para representar nenhum banco, financeira ou loja (credor/credora), tão pouco estava autorizado a receber ou negociar nada.
            Ou seja a dívida continua exatamente como estava, e você perdeu o dinheiro que pagou pensando estar quitando ela.

            Normalmente o tal Escritório de cobrança é de outro Estado, para dificultar a localização da quadrilha. Periodicamente fecham e mudam de nome e endereço.

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

Golpe do Paco de dinheiro ou do cheque achado

paco 150x99 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
            Existem muitas variantes deste golpe, todas baseadas na ganância e em uma suposta recompensa por ter achado, recuperado e devolvido algum suposto valor. Este golpe é normalmente chamado de “golpe do paco” ou “golpe do achadinho”.

            Na versão clássica, normalmente praticada por duas pessoas, os estelionatários ficam observando até que alguém “apropriado” saque uma boa quantia em dinheiro em um banco ou caixa automático.

            Uma vez identificada a vítima a seguem, um golpista vai à sua frente e o outro logo atrás.

            O da frente deixa propositadamente cair uma folha de cheque de alto valor, ou um pacote de dinheiro falso, visando chamar a atenção da vítima, que apanha o cheque ou o pacote e devolve ao estelionatário “que o perdeu”, pensando estar ajudando.

            O outro estelionatário, aproxima-se e diz que também viu o acontecido ou finge participar da devolução.

      Neste momento, o estelionatário “descuidado” se diz agradecido e oferece uma recompensa à vítima e ao comparsa, dizendo que eles deverão comparecer a um escritório, levando um bilhete para receber dita recompensa. Entretanto, solicita à vítima que deixe a bolsa com todo o dinheiro que tiver, como “garantia” de seu retorno.

            A vítima entrega sua bolsa com dinheiro e vai buscar sua gratificação, ao ser incentivada pelo outro estelionatário que simula a entrega da carteira ou de outro valor importante.

            Somente percebe que foi vítima de um golpe quando descobre que o endereço do tal escritório não existe. Nesta altura os estelionatários, obviamente, já desapareceram.
Existem muitas variantes. Em uma comum, o “paco” a ser achado é deixado no caminho de saída do banco e não feito cair em frente a vítima.

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

Golpes com diplomas falsos ou irregulares

diplomas falsos 150x112 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
            Existem varias modalidades, tanto nacionais quanto internacionais, para esta família de golpes.

            Na versão nacional, os golpistas se apresentam normalmente como intermediários (pessoas físicas ou supostas entidades/empresas), ou funcionários de alguma faculdade ou até do próprio MEC. Eles oferecem diplomas universitários ou de ensino médio sem necessidade de frequentar os relativos cursos ou passar exames, sendo necessário somente pagar pelo “serviço” deles.

            Para conseguir isso alegam ter “esquema” nas escolas, nas faculdade e até no MEC (Ministério da Educação e Cultura). Dizem que o diploma fornecido é regularmente registrado tanto na faculdade/escola quanto no MEC, que é criado também o histórico escolar e que é tudo original, seguro e garantido.

            Os meios mais comuns de divulgação da oferta são sites das tais “entidades”, e-mails de propaganda (spam), anúncios na internet ou em jornais. Toda a transação (desde o envio dos dados pessoais do comprador, até o pagamento dos “honorários” combinados) é conduzida com sigilo, normalmente sem contatos pessoais. Os valores cobrados variam muito, mas normalmente estão entre 200 e 800 Reais para ensino médio e entre 1.000 e 2.500 Reais para o nível universitário. Os meios de divulgação da oferta são, normalmente, sites internet das tais “entidades”, e-mails de propaganda, anúncios na internet ou em jornais…

            Na realidade existem duas possibilidades neste tipo de proposta. Em boa parte dos casos os golpistas recebem o dinheiro da entrada combinada (sempre ha valores a serem pagos adiantados, normalmente 50% do total) e simplesmente desaparecem sem entregar nada. Em outros casos, mais refinados, os golpistas produzem diplomas falsos, com vários graus de qualidade da falsificação, e os entregam como verdadeiros. Não ha possibilidade deste tipo de proposta ser “autentica”.

            Na realidade na enorme maioria dos casos se trata de uma forma destas entidades coletar dinheiro “vendendo” diplomas e títulos de estudo que não tem algum valor ou reconhecimento prático, mas que podem fazer bonito quando emoldurados numa parede, obviamente estas entidades alegam que o título é plenamente valido e reconhecido, mas na realidade se for verificar juntos aos órgãos oficiais a possibilidade de usar ou reconhecer este titulo terá amargas surpresas.

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

Fraudes no Comércio e C.D.C.
Procedimentos de segurança com Cartões de Crédito

            MASTERCARD
    1. Todos os cartões MasterCard® começam com o número 5. O número em relevo deve ser claro e uniforme.
   2. O número gravado em relevo na frente do cartão deve ser igual ao número impresso no verso e no comprovante de vendas emitido pelo Terminal POS. Ele contém 16 dígitos.
   3. Confira a data de validade do cartão.
   4. Verifique se o cartão possui a marca de segurança em relevo ao lado do holograma. Essa marca é representada pelas letras MC estilizadas.
   5. Observe o holograma. A imagem dos globos interligados deve ser tridimensional. Os quatro últimos números do cliente devem estar sobre o holograma.
   6. Verifique o código de segurança que é formado pelos três últimos dígitos subseqüentes ao número do cartão, localizados no painel de assinatura, no verso do cartão.
   7. O espaço reservado para a assinatura deve ter o nome MasterCard repetido em diagonal. Compare a assinatura do verso do cartão com a que o cliente acaba de fazer no “Comprovante de Vendas”. Se o cartão não estiver assinado, peça ao cliente que o assine e compare com a assinatura do seu RG.


MASTER 300x199 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

Procedimentos de segurança com Cartões de Crédito
         
   VISA
   1. Verifique a autenticidade da marca Visa e do holograma tridimensional com a figura da pomba.
   2. Confira a data de validade do cartão e a marca de segurança “V” gravada em relevo após a data.
   3. Verifique se o número e nome do cliente impressos do Comprovante de Venda emitido pelo terminal eletrônico são iguais aos gravados no cartão.
   4. Solicitar código de autorização para todas as vendas manuais, independente do valor.
   5. Verificar se a assinatura no Comprovante de Vendas é semelhante à do verso do cartão. Se necessário, pedir um documento de identidade.
   6. Verificar os aspectos gerais do cartão, que não deve apresentar rasuras, quebras, colagens, ou qualquer outro tipo de alteração.
   7. Checar se os algarismos em relevo estão uniformes, bem alinhados e sem sinais de adulteração. Os cartões Visa® começam com o número 4 e tem 16 dígitos.
   8. Verificar se o número do cartão gravado em alto-relevo é idêntico ao do verso e ao que foi impresso pelo terminal eletrônico.
 VISA 300x229 DICAS DE SEGURANÇA EM TEMPOS DE FESTA (NATAL)
Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

Precauções gerais a serem tomadas

            Segundo o consultor Arnaldo Ferreira dos Santos, o sucesso dos golpistas em mais de 80% das fraudes aplicadas no comércio Brasileiro é explicado, não pela habilidade do falsário, mas sim pelo excesso de rapidez na identificação do cliente, e pelo despreparo, desatenção e a confiança demasiada de vendedores, balconistas e caixas.

            Na verdade, aproximadamente 90% das fraudes e golpes, tem base e origem a partir de uma Carteira de Identidade (que é o principal documento de identificação) falsa ou adulterada. Mesmo uma fraude eletrônica via ação de hacker em um banco de dados de uma instituição financeira, na hora de transformar o produto da fraude em dinheiro efetivo na sua conta, terá que usar uma identidade falsa, pois do contrário, após um rastreamento seria facilmente identificado.

            Com medo de perder o cliente, ou não criar constrangimentos, lamentavelmente, o comércio relaxa no processo de identificação, acentuando o problema por conta de uma cultura equivocada da qual todos fazemos parte, que é a de ficarmos “chateados” quando alguém nos identifica corretamente.

            É importante entender que sempre que alguém procede corretamente no processo de identificação, na verdade está procedendo em prol da nossa própria segurança, evitando com isso que alguém, de forma indevida, faça uso de nossos dados pessoais, como conseqüência da perda ou roubo e extravio de nossos documentos.

            Outro fato que tem gerado transtorno e prejuízo aos lojistas, e do conhecimento do Banco Central, é a grande incidência de contas bancárias abertas de forma fraudulenta. É operação padrão dos golpistas a de utilizar Carteira de Identidade falsa e, após os prazos de emissão do talão de cheques, sair lesando o comércio.

            O que o lojista muitas vezes não sabe, é que a Circular 2025 do próprio BACEN, que disciplina o processo de abertura e movimentação de conta bancária, possibilita atribuir responsabilidade pecuniária ao Banco que abriu uma conta de forma inapropriada e permite o ressarcimento ao lojista.

  • Treinar os atendentes a IDENTIFICAREM o cliente de maneira mais apurada, isto é, EXIGIR O MÁXIMO de informações possíveis, bem como CHECAR AS INFORMAÇÕES DAS REFERÊNCIAS.

  • Observar o cliente NO OLHO e NAS MÃOS.   Quando foge o olhar é porque existe nervosismo, da mesma forma quando há TREMOR NAS MÃOS.

 As principais precauções e medidas para evitar golpes são as seguintes:

CHEQUES
    * Verificar se a numeração do cheque está repetida e igual na tarja magnética.
    * Analisar se todas as letras e números do cheque apresentam mesmo tamanho, forma, alinhamento e colocação.
    * Passar a mão sobre as letras para descobrir possíveis letras adesivas falsas.
    * Ficar atento a contas conjuntas, verificando se o segundo nome não foi acrescido.
    * Verificar se tem picote ou serrilha na margem esquerda do cheque.
    * Verificar indícios de rasura no extenso ou numeral.
    * Recusar cheques preenchidos e assinados previamente, ou folhas soltas sem talão.
    * Cuidado com cheques amarelados e envelhecidos podem ser indícios de contas inativas ou encerradas.
    * Observar a posição da serpentina vertical (linha louca) que tem que ser diferente para cada cheque no talão.

 CARTEIRA DE IDENTIDADE

    * Tatear a foto para verificar se não foi colada outra por cima.
    * Conferir os furos de identificação.
    * Estabelecer uma cronologia entre a data de nascimento e a data de emissão da carteira, para verificar se é verossímil.
    * Com a carteira nas mãos, fazer perguntas ao cliente, em relação à data de nascimento e a filiação.
* Quando possível, sair do campo de visão do cliente por alguns segundos, induzindo-o a pensar que você possa estar ligando para a polícia ou segurança. Esse procedimento pode desestabilizar emocionalmente o estelionatário, que geralmente sai xingando e deixa o documento nas mãos do atendente ou caixa.
    * Se possível, validar o documento através de sistemas automáticos online como a Ferramenta de Validação do “Monitor das Fraudes”.
    * Sempre que possível também consultar o CNOD (Cadastro Nacional de Ocorrências com Documentos) para verificar se existe registro de roubo, extravio, perda ou clonagem do documento em questão. Vale também consultar os serviços de proteção ao crédito (SPC, SERASA…) que disponibilizam informações deste tipo, quando as tiverem.

 DINHEIRO

    * Observar a autenticidade do papel com o toque.
    * Verificar se a margem direita da figura e os numerais contêm as microletras BC.
    * Amassar a cédula – a falsa não é maleável.
    * Observar se submetida à luz ultravioleta, a nota parece opaca – a falsa tem brilho intenso.
    * Quando for mais de uma nota, verificar se o número de série não é o mesmo.
    * Especial atenção para a cédula de R$ 10,00 Falsa. Ela está sendo muito utilizada nos postos de gasolina por ser um tipo de estabelecimento que facilita dinheiro falso em circulação.

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

 CARTÃO DE CRÉDITO

    * Conferir atentamente se os numerais do cartão em relevo aparecem desalinhados, tortos ou mal posicionados.
    * Verificar se o número do cartão e o nome do associado estão borrados ou danificados.
    * Observar, depois que o débito for aceito pelo terminal eletrônico, se o número do cartão confere com o da nota impressa.
    * Desconfiar se a tarja magnética estiver riscada ou destruída deliberadamente, de modo que não possa ser lida pelo terminal eletrônico.
    * Ao submeter um cartão à luz ultravioleta, aparece a logomarca da administradora.

Fonte: MONITOR DAS FRAUDES – http://www.fraudes.org/

Fonte: http://www.policiacomunitariadf.com/dicas-de-seguranca/#sthash.tl1Z8IdN.dpuf