quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

BM forma 3ª turma do Curso Especialização em Operações de Choque

       




         A terceira edição do Curso de Especialização em Operações de Choque (CEOC), realizada pela Brigada Militar, encerrou com a solenidade de formatura na noite desta terça-feira (02), na Academia de Polícia Militar, em Porto Alegre. A partir de agora, mais 36 policiais militares estão aptos a atuarem nas operações de controle de distúrbios. São PMs de 13 estados, incluindo o Rio Grande do Sul, sendo 13 da BM e dois de cada uma das demais unidades da federação.

        O comandante-geral da Instituição, coronel Silanus Serenito Mello, durante a cerimônia, homenageou o soldado Elcio José Pereto, morto na semana passada e afirmou que a polícia precisa estar cada vez mais preparada para enfrentar os desafios que se apresentam. “A partir de 2013, com as manifestações de junho, avançamos em doutrina de choque e em equipamentos e nosso foi reconhecido pela Senasp que, por meio da secretária Regina Miki, nos contemplou com três edições do curso de especialização em operações de choque”, destacou o coronel Silanus.

        Falando em nome dos formandos, o 1º tenente da PM de Rio Grande do Norte, Luís Dantas Guimarães, agradeceu a todos pela oportunidade de participar do curso que possibilita as técnicas corretas nas para melhor servir à sociedade brasileira. Citando o educador Paulo Freire, destacou que, “É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz”. 

        Curso de Operações em Choque

        Realizado pela Brigada Militar em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), o CEOC treinou policiais para ações de controle de distúrbios, buscando o restabelecimento da ordem pública em casos de grandes manifestações, preservando a integridade física das pessoas e do patrimônio público e privado. As duas primeiras edições do curso ocorreram antes da Copa do Mundo de 2014.

        Foram disponibilizadas disciplinas nas áreas de direitos humanos, legislação aplicada, técnica e tática de controle de distúrbios, tecnologias de menor potencial ofensivo, uso diferenciado da força, ações integradas de tropas a pé, a cavalo e cinófila, simulações de operações e treinamento físico.

GABINETE DO COMANDANTE-GERAL
Texto: Nilza Scotti (Jornalista/RP 5624)
Fotos: Luciano Evangelista /EMBM-PM5