sexta-feira, 17 de outubro de 2014

TRISTE ESTATÍSTICA - Seis crianças morrem por dia no trânsito brasileiro


 Por: 
      No mês  das Crianças, um alerta: a cada dia, seis crianças morrem e outras 51 sofrem sequelas graves por acidentes de trânsito no país. Os dados são do levantamento realizado pela Seguradora Líder-DPVAT e leva em consideração as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT em acidentes envolvendo crianças, de 0 a 14 anos, nos seis primeiros meses do ano. Ao todo, neste período, foram 1.088 indenizações de morte e 9.268 coberturas por invalidez permanente.
      A notícia boa é a redução do número de mortes. Quando analisado o primeiro semestre de 2014 em relação ao mesmo período de 2013, houve a redução de 27,6% dos acidentes fatais, de 1.502 no ano passado para 1.088 neste ano. Por outro lado, foi observado, no período, o crescimento de indenizações por invalidez permanente, em 24%.
      No primeiro semestre de 2013, 51% das indenizações pagas envolvendo crianças, de 0 a 14 anos, foram em decorrência de acidentes com carros e 40%, por motocicletas. Quando é feita a análise dos dados do mesmo período deste ano, nota-se uma inversão: as motocicletas passam a ser maioria dos acidentes (48%) e os carros ficam em seguida (44%).
      Um dado que continua chamando a atenção dos estudiosos é a quantidade de acidentes de trânsito com crianças, nas regiões Norte e Nordeste.  As duas regiões contabilizam, juntas, 5.814 indenizações, 48,5% do total pago em todo o país. Nestas regiões, a quantidade de acidentes envolvendo motocicletas predomina. No Norte, o veículo de duas rodas representa 66,3% dos acidentes da região e, no Nordeste, 65,9%. Quando somados, os acidentes envolvendo motocicletas, nas regiões Norte e Nordeste, representam 66,4% do total do país. Lembramos que o Código de Trânsito Brasileiro proíbe o transporte de crianças de até sete anos em motocicletas.
Transporte seguro de crianças
A Seguradora Líder-DPVAT desenvolveu, em parceria com o Observatório Nacional de Segurança Viária (OSNV), um módulo educativo de transporte seguro de crianças. A iniciativa faz parte do programa Observar. Confira algumas dicas:
- O cinto de segurança, para a gestante, deve ficar abaixo e não, acima da barriga. Esta medida protege mãe e filho;
- Bebê conforto deve ser instalado em posição oposta ao fluxo do carro;
- A cadeirinha ou booster devem ser instalados a favor do fluxo do veículo;
- A partir de sete anos ou 1,45m, a criança pode deixar a cadeirinha, mas utilizando sempre o cinto de segurança no banco traseiro;
- Crianças só podem utilizar o banco dianteiro a partir dos 10 anos;
- Não transportar crianças no porta-malas;
- Não transportar crianças em pé ou no colo de adultos;
- Utilizar a trava de segurança das portas traseiras.